segunda-feira, junho 04, 2018

Risotto de Beldroegas e Tomate Cherry

Nunca tinha comido Beldroegas e gostei. 😁 Mas também... dificil é encontrar coisas que eu não goste. Sempre fui boa boca... felizmente.

Para 2 pessoas que comam muito bem...

Beldroegas 
Tomate Cherry
Arroz Arbóreo (cerca de 125g)
1 Cebola picada
3 Dentes de Alho picados
1 Folha de Louro
Azeite
1/2 Copo Vinho Branco
1 Pitada de Cravinho, Cominhos e Noz Moscada (ou outro tempero a gosto)
Pimenta Preta
Sal
CREME DE AVEIA: 1/2 Cháv. Aveia em Flocos + 1 Cháv. Água batido no liquidificador e coado
Azeitonas (opcional)

Refoguei a cebola, o alho e o louro em azeite.

Adicionei o cravinho, a noz moscada e os cominhos e deixei libertar os aromas.

Adicionei o vinho e deixei reduzir um pouco o alcool.

Adicionei o arroz e um pouco de água quente para que ficasse submerso. Temperei com sal e pimenta preta.

Deixei ferver e fui adicionando mais água aos poucos, até começar a amolecer. 

Com lume baixo fui adicionando o creme de aveia e mexendo. Quando estava cremoso  e bem envolvido no arroz, estava pronto a servir.


NOTA: Costumo adicionar salsa picada, hoje não tinha. 

segunda-feira, abril 30, 2018

Favas com Soja

Nunca fui muito fã desta soja em nacos mas... cada vez vai sabendo melhor.

100g Soja em Nacos 
1 Lata de Tomate em Pedaços
Favas 
1 Cebola picada
2 Dentes Alho
1 Folha Louro
Pimentão Doce
1 Malagueta Seca (Piri Piri ou outro picante)
3 c.(sopa) Shoyu
1/2 Copo Vinho Tinto (ou branco)
Azeite
Salsa
1 c.(sopa) Açucar Amarelo

PREPARAÇÃO DA SOJA (Importante)
Fervi água com 1 Folha de Louro e um pedaço generoso de gengibre. Quando começou a ferver deitei a soja, deixei ferver 3 ou 4 minutos apaguei o lume e deixei repousar mais 3 ou 4 minutos.
Deitei tudo para uma peneira, retirei o louro e o gengibre e lavei bem a soja debaixo de água corrente, apertando os nacos com as mãos, até sair a maioria da água turva da fervura. Reservei.


Num tacho refoguei a cebola, o alho, a malagueta e o louro em azeite. Quando alhos começaram a dourar adicionei o vinho e a lata de tomate. Deixei ferver alguns minutos.

Adicionei as favas e a soja e cobri com água quente. Temperei com um pouco de pimentão doce e com shoyu. Deixei cozinhar.

Fui provando para acertar o sal e adicionei 1 c.(sopa) de Açucar para cortar a acidez do tomate e do vinho.

Quando favas estavam cozidas, adicionei um punhado de salsa picada, mexi e apaguei o lume, deixando o tacho tapado algum tempo, antes de servir.


Nota: Na próxima vou adicionar 1 c.(chá) de sal à água em que fervo a soja. Achei-a um nadinha adocicada apesar do molho estar bom de sal.

domingo, abril 29, 2018

Açorda de Tremoço



Eu e os tremoços 😀fazer o quê? Eles inspiram coisas boas...

Dava para 2 pessoas...

1 Cháv. de Tremoços
3 Fatias grandes de Pão Alentejano (ou outro, com 1 ou 2 dias)
4 Dentes de Alho grandes
1 Folha de Louro
Azeite (quantidade generosa, a gosto)
Salsa e Coentros picados (quantidade a gosto, só coentros ou só salsa serve)
Pimenta Preta
Sal
Azeitonas q.b. (opcional)

Comecei por partir o pão em pedaços. Coloquei-o num recepiente e reguei com água morna, até cobrir todos os pedaços. Reservei.

Descaquei os tremoços e triturei-os na 1 2 3.

Numa frigideira bastante larga aqueci o azeite com os alhos e o louro. Assim que alhos começaram a querer fritar adicionei um pouco de água e a mistura de salsa/coentros. Mexi um pouco para libertar os aromas.

Adicionei o pão, sem precisar espremer a água dos pedaços. Reservei a água restante.

Temperei com sal e pimenta preta e fui mexendo para envolver no tempero, aproveitando para desfazer também, um pouco mais, os pedaços do pão.

Fui adicionando aos poucos água da demolha do pão para ajudar neste processo, e não deixar queimar, até adquirir a consistência que gosto.

Provei, acertei tempero e desliguei o lume.

Envolvi os tremoços no pão.

Servi com salsa e azeitonas.


Nota: Atenção ao sal dos tremoços. Se forem muito salgados demolhem por algumas horas ou até dum dia para o outro.

domingo, abril 15, 2018

Brigadeiros de Batata Doce

Acho que nunca comi brigadeiros originais, por isso não sei sequer qual a consistência que devem ter mas... como sei que é um docinho muito apreciado tive vontade de fazer esta versão mais saudável e sem crueldade.

2 Batatas Doces médias
4 a 5 c.(sopa) Óleo de Coco derretido
5 a 6 c.(sopa) Cacau em Pó 
4 c.(sopa) Açucar (usei mascavado derretido num pouco de água)
1 c.(sopa) Canela

Chocolate Granulado (sem leite)
Coco Ralado

Cozi as batatas em água e sal.

Escorri e esmaguei bem com um esmagador. 

Adicionei os restantes ingredientes e misturei. 

Levei ao lume sem parar de mexer, durante 3 ou 4 minutos, ou até puré começar a desapegar-se do tacho.

É a altura certa para provar e acertar sabores. Se souber bem está ótimo, se precisar de mais cacau ou açucar é só adicionar. Quantidades são um pouco relativas considerando o tamanho das batatas.


Reservei no frigorifico para arrefecer e ficar mais consistente.

Moldei as bolinhas e passei umas por chocolate granulado e outras por coco ralado. Voltei a guardar no frigorifico.



Notas: 
Se ao moldar as bolinhas, o preparado agarrar muito às mãos é só mantê-las molhadas.

A quantidade que rende depende do tamanho das bolas que fizerem mas ainda rendeu bastante, e eu sou generosa no tamanho das bolinhas.😀

Para ser mais rápido, se for para consumir de imediato, depois de moldadas podem guardar alguns minutos no congelador, sem deixar congelar.

Para os tornar ainda mais saudáveis podem adoçar com tâmaras, trituradas com um pouco de água e adicionadas ao puré de batata.